Pescoço também envelhece

Pescoço envelhecido tem tratamento

Pescoço: como tratar o envelhecimento da área?

 

O pescoço é uma área entrega a idade e é difícil de esconder essa região. 

E uma pele fina, elas demonstra as linhas e está sempre devendo um pouquinho em relação à flacidez se comparado com o rosto. 

Uma outra situação que tem acontecido são as rugas digitais, até adolescente já tem apresentado essas linhas em colar de tanto ficar digitando, seja no celular, no tablet ou computador. 

Isso é uma tendência dessa nova geração, então é importante essa postura ideal de não ficar tão encurvada para não ficar tão marcado o pescoço. 

O pescoço tem uma pele muito fina, que muito rapidamente vai se soltando e vai enfrentando sinais de flacidez. E também nós temos a musculatura, o músculo platisma, que em algumas pessoas vai fazendo contraturas e forma o que a gente chama na dermatologia de banda platismal. 

Para cada situação existe um tratamento específico e quanto mais cedo se iniciar um tratamento, melhores os resultados. Quanto mais evoluir essa flacidez, quanto mais marcadas ficarem as linhas, mais difícil retrocedermos nos resultados. 

Uma das tecnologias muito utilizadas é o ultrassom microfocado. Ele trabalha a musculatura, faz um equilíbrio do tônus muscular, ele contrai essa musculatura de forma que a pele também retrai. 

Tem situações de banda platismal em que o músculo platisma é mais cliente, que é aplicada a toxina botulínica. 

Os bioestimuladores também têm sido muito utilizados, poruqe o ultrassom microfocado trabalha musculatura, mas os bioestimuladores atuam na flacidez de pele. 

Os skinboosters também, porque são hidratantes injetáveis que atenuam essas linhas que estão marcando. 

E os lasers também podem ser utilizados, sendo ablativos ou não ablativos.  

Minha dica para pescoço é: trate cada vez mais cedo, use produtos específicos, dê a devida atenção. A maioria das pessoas se preocupam mais com o rosto, mas o pescoço precisa de uma atenção e depois é muito difícil reverter essas marcas do tempo.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.