Toxina botulínica em rugas de expressão

Toxina botulínica em rugas de expressão

Toxina botulínica em rugas de expressão

 

Hoje vamos falar de rugas de expressão, mais especificamente sobre os mitos e verdades em torno da toxina botulínica, substância amplamente utilizada no tratamento das rugas.

A toxina botulínica é uma medicação usada há bastante tempo, só no Brasil tem 25 anos que ela chegou.

O que ela faz?

Ela relaxa a musculatura onde é aplicada, então é usada para várias causas, não só para rugas de expressão, mas para problemas de mordida, bruxismo, rugas do pescoço, hiperidrose, que é um excesso de suor nas mãos, nos pés e na axila, também para quem tem problema de bexiga hiperativa, em espasmos musculares e problemas de laringe.

Alguns artigos internacionais recentes indicam o emprego da toxina em contorno corporal, como na parte de ombro e panturrilha.

Resultado natural

Uma das dúvidas que a gente vê muito na clínica é sobre o uso nas rugas de expressão, para que não fique um efeito artificial.

Em primeiro lugar é preciso verificar o que o paciente espera e deseja com o tratamento.

Se é a primeira vez que ele está fazendo, o mais indicado é sempre explicar que é aplicada x quantidade da toxina e que o paciente tem oportunidade de 15 a 21 dias depois complementar essa aplicação.

Então se ainda sobrou alguma ruga de expressão e ela deseja fazer um bloqueio maior, a gente complementa de 15 a 21 dias depois que é o tempo de ação máxima da toxina. Isso é possível e os resultados ficam mais naturais.

 

A toxina para de fazer efeito?

E a questão da vacinação? Algumas pessoas, com o tempo, param de responder à toxina.

Isso pode ser devido à produção de anticorpos pelo organismo do próprio paciente, mas na maioria das vezes acontece por não respeitar o tempo adequado.

É muito comum alguns pacientes fazerem a toxina e falarem “parece que eu fiz e fiquei pior”. Isso acontece porque quando você se olha no espelho você está acostumado a não ser quase nada de ruga, mas com o tempo, 4, 6 meses, a toxina vai perdendo o seu efeito, algumas áreas começam a se movimentar e você está se comparando com aquele seu melhor.

Por isso que o ideal, mesmo que por volta do terceiro mês você volte a ter uma ou outra expressão, que você dê um tempo de uma média de 4 meses para que você possa aplicar uma dose novamente, para que evite essa produção de anticorpos.

O mínimo entre as aplicações é de 4 meses, são 16 semanas que os trabalhos indicam que diminui o risco dessa vacinação e, com o tempo, a não ação da toxina.

Por isso que é importante respeitar as indicações médicas e as orientações do seu médico de confiança.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.